Artigos Destacados
0

Diarreia e vômito: Quais cuidados devemos tomar!

diarreia-vomito-viroseDiarreia e vômito podem ser causados por infecções intestinais ou alimentos contaminados – estes são difíceis de identificar por aparência, cheiro ou gosto, ao contrario do que muita gente imagina. No entanto, causam problemas sérios e são capazes de colocar a vida em risco.

 O que se deve fazer em casos de diarreia e vômito

  1. O maior perigo é a desidratação. Faça a pessoa beber bastante água para compensar a perda de liquido por vômito e diarreia. Assim, toda vez que ela for ao banheiro ou vomitar, deve beber um copo d’ água.
  2. Se os sintomas forem apenas diarreia e cólica leve, suspenda a alimentação por 12 horas e espere passar.
  3. Um medicamento antiemético – ou seja, contra a náusea -, desde que recomendado pelo médico, ajuda se a pessoa estiver vomitando muito.
  4. Se a diarreia for muito intensa, o individuo deve beber soro reidratante, que pode ser comprado em farmácias ou feito em casa. A receita é: 1 copo d’ água, 2 colheres de açúcar e 1 colher de sal. A colher deve ter a medida padrão. Preste atenção, pois um erro de proporção torna o liquido ineficaz e até piora a desidratação
  5. Vá ao pronto-socorro se observar febre alta, sangue ou muco nas fezes, palpitação, confusão mental ou se a pessoa não conseguir nem sequer beber líquidos.
  6. Caso a situação não melhore, mesmo que não haja nenhum dos sintomas que acabaram de ser citados, vá a um pronto-socorro. Lá os médicos poderão dar o soro por via introvenosa.

Atenção!

  • Tanto a diarreia como o vomito são maneiras de o organismo se livrar de algo que está lhe fazendo mal. Portanto, não tome medicamentos para bloquear a diarreia.
  • Febre alta, sangue ou muco nas fezes, palpitação, tontura e confusão mental são sinais de alerta. A vítima precisa ir ao pronto-socorro imediatamente.
  • Se a pessoa estiver vomitando a ponto de não conseguir ingerir líquidos, não insista. Isso também é motivo para procurar um posto de saúde
  • Cerca de 76 milhões de contaminações alimentares acontecem por ano só nos Estados Unidos.

As infecções mais comuns são:

Campyloabacter

Essa bactéria é encontrada em alimentos crus ou frango mal cozido, leite cru e água não tratada. Os sintomas da infecção incluem dor abdominal aguda, diarreia (que pode ser aquosa ou conter sangue), náusea, dor de cabeça, dor muscular e febre. Os sinais surgem entre os dois e cinco dias após o consumo do alimento e duram de sete a dez dias.

Listeria

O micróbio causador em geral está presente em leite cru e queijo, carne crua ou malpassada, carne de frango e peixe. A doença aparece entre dois a 30 dias após a exposição e tem sintomas semelhantes à gripe, incluindo calafrios, febre e dor de cabeça, algumas vezes acompanhados de náuseas e vômitos.

Salmonela

Carnes cruas ou malpassadas, frango, peixe e ovos – principalmente maionese – são alimentos preferidos dessa bactéria. Os sintomas da intoxicação são náuseas, vômitos, cólicas abdominais e diarreia.

Normalmente aparecem de seis a 48 horas após o consumo do alimento e podem durar até uma semana.

0

Falta de sono: Dormir pouco faz mal a saúde!

O sono é um combustível do qual o nosso organismo não pode abrir mão. Como acontece com a comida e a água, não podemos dormir pouco num dia para compensar no dia seguinte. Nosso organismo espera um suprimento constante de sono e funciona melhor quando tem uma noite de sono plena a cada vinte e quatro horas.

falta-de-sonoLíderes militares identificaram uma importante ameaça aos solados, ignorada durante muito tempo: falta de sono. O tenente-coronel Jim Chartier classificou de “nosso maior inimigo” a falta de horas de sono. “Faz com que tarefas simples se tornem difíceis”.

“Simplesmente não há nada que substitua um sono repousante”, acrescenta o coronel Gregory Belenky, o principal cientista do Exercito dos EUA.

Exames do cérebro mostram que uma noite sem sono provoca uma queda metabólica de catorze a doze por cento na parte do cérebro responsável por raciocínios mais complexos e pela capacidade de julgamento. Para soldados e pilotos, isso significa o embotamento da parte do cérebro que distingue ente amigo e inimigo, que escolhe alvos e é capaz de se guiar em meio a um campo de batalha. Especialistas que fazer pesquisas sobre o sono supõem que os acidentes, na maioria, são causados por algum tipo de estafa.

“Há aspectos positivos e negativos”, diz o coronel Belenky-“Soldados privados de sono são capazes de dormir em qualquer lugar”. Algum sono – um cochilo de quanta e cinco minutos na lama, por exemplo – é melhor do que nenhum. Os soldados sabem que precisam tirar uma soneca antes de entrar em ação, e com a maior frequência possível.

Mas há também o aspecto negativo”, diz o coronel Belenky. “Como essas sonecas, por mais frequentes que sejam, não são suficientes, os soldados correm o risco de cochilar durante uma ataque com armas químicas, quando estão de sentinela, ou quando estão usando equipamento perigoso – e em tempo de guerra todo equipamento é perigoso”.

Em sua pesquisa, o Coronel Belenky concluiu que uma única noite sem sono basta para deixar uma pessoa com reações lentas, para fazer com que ela se distraia com facilidade e esqueça muitas vezes das coisas. “privada de sono, a pessoa torna-se impulsiva, irritadiça e incapaz de reagir a problemas complexos com resposta que não sejam mecânicas”, ele diz. Mais preocupante ainda: “privada de sono, a pessoa perde a noção das próprias limitações”.

Segundo pesquisa da Fundação Nacional do Sono, quarenta por cento dos adultos mostram-se tão sonolentos durante o dia que isso acaba interferindo em suas atividades quotidianas. A entidade afirma que a falta de horas de sono provoca uma queda entre dez e trinta e cinco por cento nos anticorpos e nas células do sistema imune. O sono é essencial para a recuperação das células desse sistema. As pessoas deveriam dormir até oito horas por noite durante um período ainda maior quando estivessem doentes.

0

Como tratar machucados e pequenos cortes!

Como fazer um curativocorte pequeno

  1. Se possível, lave bem as mãos com água e sabão.
  2. lave também a parte machucada com  água e sabão, removendo eventuais sujeiras, como terra, graxa, caco de vidro e etc.
  3. Se estiver saindo sangue faça uma compressa com um pedaço de gaze ou um pano limpo até que o sangramento pare
  4. Seque bem o ferimento com uma gaze ou um algodão
  5. Cubra o local com gaze esterilizada, um band-aid ou micropore.

O que não se deve fazer

  1. Nunca use pomadas, pastas, óleos e nenhum tipo de pó em feridas abertas.
  2. Não use sabonetes muito abrasivos, muito menos detergentes ou sabão em pó. Prefira sabão neutro, se possível, até porque é o que provoca menos ardor.
  3. Água oxigenada piora a lesão, já que também afeta o tecido que está saudável, aumentando a área comprometida.
  4. Pesquisas cientificas, mostram que aqueles velhos remédios para machucados não funcionam. Prefira a dupla água e sabão.
  5. Se houver perfuração com uma lamina ou um prego, nunca tente retirar o objetivo. Além de romper mais ainda o tecido, isso aumentara o sangramento. Deixe que o médico habilitado se encarregue da tarefa.

Atenção!

  • Se o corte foi mais profundo, depois de realizar os procedimentos descritos aqui, procure um serviço médico para um tratamento mais adequado.
  • O curativo deve ser trocado a cada vez que a pessoa for tomar banho. Nessa hora, aproveite para observar se estar cicatrizando. Caso não aja melhora, procure orientação médica.
  • Mantenha o local do ferimento sempre limpo a seco. A umidade dificulta a cicatrização. Aumento da dor, inchaço, vermelhidão  e secreção são sinais de inflamação. Mesmo pequeno, aquele corte pode estar infectado. Procure um serviço médico.
  • Se for ferido por um objeto de ferro ou uma mordida de animal, vá ao posto de saúde  para avaliar a necessidade de vacina, como a antitetânica.

Dica: Hemofílicos e pessoas com dificuldade de coagulação devem procurar atendimento médico rapidamente mesmo que o corte seja pequeno.

Cortes com sangramento

  • Se o ferimento for nas pernas ou nos braços, mantenha-os acima ou na linha do coração.
  • Em caso de sangramentos nasais, clique aqui!
  • No caminho para o hospital, tente manter a pessoa acordada.
  • Se a compressão não for suficiente para estancar o sangramento, procure um pronto socorro.
  • Comprima o local com uma gaze esterilizada ou um pano limpo até parar a hemorragia.

Dica: Se há uma lesão grande no tórax, na cabeça ou no pescoço, corra para o pronto-socorro.

Como estancar um sangramento

  • Quando você aperta ligeiramente uma área machucada que está sangrando muito, essa compressão favorece a coagulação sanguínea e tampa os vasos abertos
  • Proteja sua mão e, com uma gaze esterilizada ou um pano limpo, pressione o ferimento levemente.
  • Se notar que as extremidades ficaram arroxeadas, é sinal de que você está apertando demais, impedindo a circulação. Solte ligeiramente
  • Mantenha a compressão até que o sangramento pare. Se isso não for suficiente, procure um serviço médico.
Seleções do Autor
Últimos Destaques
123...1020...>>