Engana-se quem pensa que acne é um problema só de adolescente ou de quem descuida da pele. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, cerca de 30% das pessoas adultas sofrem com cravos e espinhas. De acordo com o médico dermatologista Otávio Macedo, 85% desses pacientes apresentam manifestações simples do problema, que permanecem por algum tempo e, muitas vezes, somem espontaneamente. “Já os outros 15% têm o que chamamos de acne inflamatória, lesões mais intensas e aparentes, que necessitam de maiores cuidados”.

Para Otávio Macedo, que é especialista em cosmiatria, a acne em pessoas adultas pode aparecer, principalmente, devido a alterações hormonais, hereditariedade e ao estresse, que acaba estimulando as glândulas sebáceas. O médico ainda aponta substâncias como vitamina B12, iodo e cortisona, que podem desencadear o problema em quem já tem tendência a ter acne. Entre os tratamentos, podem ser utilizadas medicações tópicas ou orais, dependendo da gravidade do problema.

Para os casos mais leves de acne, a solução pode estar em sabonetes e loções anti-inflamatórias à base de peróxido de benzoila e nas fórmulas com alfa-hidroácidos (controlam a oleosidade da pele), esfoliantes (combatem o excesso de produção de sebo) e antibióticos tópicos como a eritromicina e clindamicina (inibem a proliferação de bactérias).

Já quando a acne está em estágio mais avançado, os antibióticos de uso oral (o mais usado é a tetraciclina) e os peelings à base de ácido salicílico e ácido retinóico são alternativas eficazes. O médico Otávio Macedo explica como é feito o tratamento com cada uma dessas substâncias:

Ácido salicílico – o produto é aplicado no rosto do paciente provocando um certo ardor. Depois de alguns minutos, a região já pode ser lavada e, geralmente, apresenta um leve vermelhidão. No dia seguinte do tratamento as lesões de acne vão estar bem menos inflamadas e a pele do rosto com leve descamação.

Ácido retinóico – esse procedimento é mais demorado, porém não provoca a sensação de ardência na pele. O paciente deve ir para a casa com o produto no rosto, devendo retirá-lo cerca de seis a doze horas depois da aplicação, conforme orientação médica. Em seguida, a pele fica avermelhada e, dois dias depois do tratamento, ocorre uma leve descamação. O ácido retinóico age contra a formação e dissolução de comedões.

O número de sessões de peeling varia de acordo com a evolução de cada paciente. Depois de qualquer um dos peelings, é muito importante o uso diário de protetor solar gel (no mínimo fator 30). Sol direto no rosto (na praia) só é permitido depois de duas semanas após o procedimento.

Fonte: Agenda Saúde

Acne na Maturidade
Classificado como:            

Uma ideia sobre “Acne na Maturidade

  • novembro 13, 2008 em 10:19 pm
    Permalink

    Pode se tomar suco de babosa diariamente???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *