A atividade física e o ciclo menstrual

O ciclo menstrual sempre foi um tabu para o esporte, treinadores e atletas. Poucas décadas atrás, era preocupante o fato da mulher participar de competições ou treinar menstruada.

A partir de 1950, com a melhora na qualidade dos produtos de higiene femininos (absorventes) e o aumento no número de pesquisas científicas sobre o tema, esse quadro mudou.

O ciclo menstrual dura, em média, 28 dias, sendo que a ovulação ocorre normalmente no 14º dia. O ciclo pode ser dividido em:

Fase de menstruação: 1º ao 4º dia

Fase pós-menstrual: 5º ao 11º dia

Fase intermenstrual: 12º ao 22º dia

Fase pré-menstrual: 23º ao 28º dia.

Embora existam muitas pesquisas relatando como o exercício afeta a menstruação, são menos conhecidas as que analisam como a menstruação e as outras fases do ciclo menstrual interferem na performance.

Na maioria das mulheres, o desempenho físico ideal é alcançado na fase pós-menstrual, e imagina-se que isso seja causado pela crescente taxa de estrógeno (hormônio feminino) e a ativação da glândula supra-renal, provocando maior secreção de noradrenalina.

A fase pré-menstrual é considerada como a fase de reduzida capacidade de desempenho, caracterizada por baixa concentração, fadiga muscular e nervosa, mais rápida e hiperventilação, provocada pelo efeito da progesterona sobre o centro respiratório.

Durante a menstruação mesmo, cerca de 70% das mulheres alcançam um desempenho igual ou até melhor, em 30%, ocorre uma diminuição do desempenho. A diminuição do desempenho refere-se principalmente a atividades de longa duração.

Em atividades de velocidade, observa-se esporadicamente uma melhora. Em relação a parte psicológica, deve-se admitir, durante a menstruação, maiores prejuízos, uma vez que o sangramento é percebido geralmente como inibidor do desempenho, embora a perda de sangue não afete a capacidade de desempenho.

A influência do esporte sobre a menstruação depende do tipo de treinamento, de sua intensidade e do grau de prática da atividade esportiva. Mulheres que praticam regularmente esporte queixam-se menos de distúrbios que as não esportistas.

Nas esportistas que tem um treinamento muito intenso e abrangente de resistência, no entanto, pode ocorrer uma reorganização da regulação funcional, que leva temporariamente a irregularidades menstruais, reversíveis a qualquer momento.

Em cerca de 3/4 das mulheres, o esporte não influencia a menstruação. Porém, quando surgem dores menstruais mais fortes (cólicas), aconselha-se tomar cuidado ou mesmo limitar a carga esportiva, principalmente nos primeiros dias.

Fonte: Equipe SportsLab