Mas será que os alimentos afrodisíacos funcionam mesmo?

Será que os alimentos afrodisiácos realmente podem aumentar o apetite sexual?

A discussão é antiga. E a resposta não é tão simples. A verdade é que um alimento sozinho não tem o poder de aumentar o apetite sexual. Mas, se pensarmos que ter uma dieta equilibrada significa cuidar, também, da saúde sexual, podemos chamá-la de afrodisíaca.

“Uma boa alimentação controla o peso e a saúde, o que proporciona bem-estar. E é isso que fará a libido ficar em ordem”, explica Cynthia Antonaccio, nutricionista da Equilibrium Consultoria Nutricional, de São Paulo. Mas, não se iluda. Não é uma lista de alimentos afrodisíacos que vai fazer com que seu apetite sexual aumente. “Só se o corpo estiver descansado, bem alimentado e, claro, houver uma companhia que desperta o desejo, a relação sexual melhora”, esclarece Cynthia.

Alguns alimentos têm a fama de contribuir para a performance durante o sexo, e só isso já dá um empurrãozinho. “Alimentos com temperos picantes e formatos insinuantes podem ser estimulantes, por seu sabor ou visual, porém, eles não têm ação fisiológica”, afirma a nutricionista. “É o caso do chocolate, que estimula vários sentidos, ou do vinho, que tem sabor forte e deixa a pessoa mais descontraída”.

É o que defende o chef de cozinha Allan Vila Espejo, autor do livro “Comer fez o homem”, que aborda justamente esse tema. “O que funciona é tratar bem a mulher, criar situações de envolvimento, como colocar uma boa música e oferecer flores. O alimento, em si, não importa. Um picolé pode ser afrodisíaco, dependendo do modo que ele for chupado”.

O chef também acredita que os pratos e ingredientes considerados afrodisíacos ficaram mais famosos por causa de seus formatos, que estimulam a imaginação. “Um morango cortado ao meio lembra uma vagina. Um pepino, o pênis. Isso tudo, em um cenário romântico, aguça a imaginação do casal”. Outro fato é que comer algo pensando em satisfazer a parceira causa um efeito psicológico que pode melhorar o ato sexual.

Porém, do mesmo jeito que muitos alimentos fazem bem para o corpo, outros favorecem a libido. Mas, lembre-se: esqueça os milagres. Incluí-los na alimentação vai ajudar você a manter o equilíbrio do corpo e, conseqüentemente, a saúde. Isso não significa que alguma comida vai torná-lo uma máquina de sexo. A alimentação correta fará com que seu corpo funcione bem.

Alimentos e nutrientes
“Muitos alimentos são ricos em nutrientes que garantem a saúde sexual. A própria gordura auxilia na formação de hormônios sexuais. Porém, procure a chamada “gordura boa”, encontrada em peixes, óleos vegetais, sementes e castanhas, por exemplo”, aconselha Cynthia. Do mesmo modo funcionam as vitaminas C e E, o zinco e a arginina. “Por isso, o morango, que é rico em vitamina C, pode entrar para a lista. Assim como o amendoim (vitamina E), as ostras (zinco) e por aí vai”.

Quer mais alguns exemplos? Catuaba, cacau, tomate, alecrim, hortelã, ginseng e carambola contêm feniletilamina (um neurotransmissor). A nutricionista explica que essa substância é um estimulante e antidepressivo similar – em composição e ação – à adrenalina e às anfetaminas. “Isso explica porque certos alimentos elevam o humor e proporcionam a sensação de prazer, já que as anfetaminas são estimulantes da atividade do sistema nervoso central, fazendo com que o cérebro trabalhe mais depressa”.

Mais um: a arginina, existente nos laticínios, na carne e no chocolate, libera óxido nítrico. É um aminoácido semi-essencial produzido no organismo, porém, em quantidade insuficiente para todas as necessidades do corpo e, por isso, precisa ser consumido através da nutrição. “Ela é necessária para a formação de óxido nítrico, e algumas de suas funções são a manutenção do fluxo sangüíneo e a dilatação dos vasos. O que mantém o pênis ereto é a produção constante de óxido nítrico pelos vasos sanguíneos do pênis”, explica Cynthia. “Mas, recentemente, cientistas descobriram que o atrito e a vibração, causados pela passagem do sangue nos vasos sanguíneos, são os responsáveis pela produção contínua de óxido nítrico e por manter a ereção”, complementa.

Veja abaixo uma lista de alimentos afrodísiacos:

Ostras
Contêm grandes quantidades de zinco e selênio e são estes dois minerais que lhes conferem o estatuto de alimento afrodisíaco. O primeiro é importante para a produção de esperma e para a saúde do sémen (cada ejaculação contém, aproximadamente, 5 mg de zinco); o selênio melhora o desempenho sexual e a fertilidade.

Atum
Rico em zinco, selênio, vitaminas B12 e B3, proteínas e ácidos gordos essenciais ômega 3, o atum é, frequentemente, encarado como o rei dos alimentos sensuais, a seguir às ostras. Aumenta a produção de esperma e fortalece a libido.

Chocolate preto
É rico em serotonina, um químico que estimula a área no nosso cérebro ligada ao prazer, e em fenilalanina, o aminoácido que actua sobre o despertar e melhora a disposição. Saboreie-o (de vez em quando), optando sempre pelo chocolate mais preto que encontrar, isto é, mais rico em elementos afrodisíacos.

Tomate
É uma das fontes mais ricas em betacaroteno, precursor da vitamina A, essencial para a produção das hormônios sexuais masculinas e femininas e para promover a fertilidade do casal.

Sementes de sésamo
Estas sementes minúsculas incluem oito nutrientes «sensuais»: cálcio, ferro, magnésio, ácidos gordos essenciais ômega 3 e ômega 6, selênio, zinco e vitamina E. A fim de libertar os seus minerais essenciais, triture-as por breves instantes, num robô de cozinha.

Figo
O seu alto teor em betacaroteno garante uma produção regular de hormônios sexuais e, enquanto boa fonte de vitamina C, fomenta a libido e reduz o stress.

Mamão Papaia
A sua polpa alaranjada é uma boa fonte de cálcio, necessário para a contração muscular associada à ereção masculina e ao orgasmo feminino; e vitamina C, um estimulante do desempenho sexual.

As suas sementes escuras podem ser trituradas, libertando desta forma gorduras essenciais, necessárias para estimular a produção de hormônios sexuais.

Banana
É rica em magnésio, um mineral necessário para a produção de energia e excelente para um bom desempenho sexual. Possui ainda um alcalóide, o triptofano, que atua sobre o equilíbrio dos neurotransmissores do cérebro, para melhorar o humor e aumentar a autoconfiança.

Amoras silvestres e framboesas
Ricas fontes de vitamina C. São também uma boa fonte de vitamina E, necessária para o aumento do impulso sexual.

Amêndoa
Fonte de magnésio e ácidos gordos essenciais que regulam as prostaglandinas, necessárias para a produção dos hormônios sexuais. É também rica em cálcio, zinco, ácido fólico e vitaminas B2, B3 e E, o que a torna num alimento importante na prevenção da infertilidade e no fortalecimento da libido.

Gengibre
De sabor e aroma fortes e pungentes, o gengibre possui propriedades estimulantes que ajudam a tornar o sangue mais líquido, contribuindo para aumentar e prolongar a função eréctil.

Açafrão
É a especiaria mais cara do mundo, muito por culpa de na Índia ter a fama de possuir efeitos estimulantes a nível sexual. Somente o açafrão oriundo da planta asiática (crocus sativus) possui um poder especial sobre a libido masculina.

Bebidas alcoólicas
Consumido com moderação, o álcool pode actuar como um afrodisíaco ao tornar-nos mais sensíveis ao tato e desinibir. Brinde ao amor com um copo de um bom vinho tinto à refeição. Mas não repita.

Artigos Relacionados:

2 Comentários para: “Mas será que os alimentos afrodisíacos funcionam mesmo?

  1. Acredito que tudo em vários sentidos ligados a alguma exponenciação da capacidade humana, antes tenha que passar pela mente. A sugestão ou aquilo que criamos em nossas mentes facilita o trabalho desses produtos. Mas, mesmo assim, nada impede que venhamos a tentar métodos para que possamos melhorar o desempenho sexual, que na verdade é muito mais uma questão de criatividade. :o)

    Se permitir, indico o artigo “Romã, um viagra natural”, que está em meu blog. http://recantodaspalavras.com.br/2007/12/01/roma-um-viagra-natural/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>