A diarréia é uma reação de defesa quando o organismo precisa se livrar de uma toxina, uma bactéria ou um vírus. Tende a sarar espontaneamente. Quando o organismo perde líquidos numa velocidade maior do que conseguimos repor com a ingestão, ocorre a desidratação.

Atenção!

Nunca dê medicamentos antidiarréicos. Eles não só interrompem esse processo natural de defesa, como muitas vezes abrem o caminho para o inimigo parar na corrente sanguínea, causando uma infecção grave.

O que se deve fazer

  1. Se foi um único vômito, fique em observação
  2. Se a criança estiver vomitando muito dê a ela o antiemético – contra náusea – recomendado pelo pediatra. Talvez seja mais eficaz o remédio na forma de supositório, que ela não colocará para fora no vomito seguinte
  3. Ofereça líquido com freqüência para que não desidrate, mas sempre em pequenas quantidades. O ideal, nessa reposição, é utilizar líquidos não muito doces e que contenham os sais perdidos nas crises de diarréia e vômitos, como soros de hidratação oral vendidos nas farmácias ou oferecidos nos postos de saúde. O soro caseiro só deve ser utilizado se você tiver a medida-padrão distribuída gratuitamente à população (as instruções estão claras na própria medida) A preparação incorreta do soro leva a problemas como a ingestão excessiva de sal.
  4. Se ela continuar vomitando sem para mesmo medicada, é melhor ir ao pronto-socorro para que receba soro pela veia. Sintomas muito intensos e que demoram para passar merecem uma avaliação do pediatra

Dica!

Para saber se a criança está hidratada, observe se ela está urinando e se o liquido é claro. Xixi escuro pode ser sinal de desidratação. Muita sede, boca seca, cloro sem lagrimas e perda de elasticidade da pele também são bons indicadores. Lembre-se de que o aspecto da criança é o mais importante. Se ela parecer muito abatida, procure logo um médico.

O que fazer: Diarreias e vômitos em crianças pequenas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *