Vitamina B12 – Cianocobalamina

Fonte de vitamina b12 – Cianocobalamina – O fígado, os rins, o peixe, os ovos.

Ação – Intervém no metabolismo de alguns ácidos e dos ácidos nucleicos.

Sintomas de carência – palidez, taquicardia, anemia, perturbações nervosas.

Necessidade acrescida em caso de – Gravidez, aleitamento.

Indicada em caso de – Anemia, atraso no crescimento, convalescença.

Riscos de toxicidade – Não provoca efeitos tóxicos.

Destruída por – Raios luminosos

O papel da vitamina B12 – Cianocobalamina no organismo

Sob o nome de vitamina B12 encontram-se agrupadas algumas substâncias (cianocobalamina – hidroxicobalamina – metilcobalamina, etc) dotadas de uma poderosa ação contra a anemia perniciosa.

A estrutura química destas substâncias é bastante complexa. Têm todas, no centro das suas moléculas, um átomo de cobalto ao qual está ligado um grupo particular que identifica cada forma da vitamina. Assim a cianocobalamina contém um grupo cianeto, a metilcobalamina, um grupo metílico e assim por diante.

A vitamina B12 trazida pela alimentação é absorvida por meio de um mecanismo particular que depende da ação combinada de elementos produzidos no estômago (fatores gástricos) e no intestino. A sua síntese exige mais tempo de que a das outras vitaminas hidrossolúveis. O fator gástrico indispensável para a absorção da vitamina é denominado “fator intrínseco” e tem  a propriedade de a proteger da ação das enzimas durante a sua passagem no intestino, até ao momento em que é absorvida graças ao fator segregado pelo intestino (fator intestinal).

A vitamina assimilada é transportada pelo sangue aos tecidos, onde se torna ativa. Uma certa quantidade de vitamina é armazenada no fígado, que lhe serve de reservatório. Após ter sido utilizada pelo organismo, a vitamina B12 é eliminada pela urina e, em parte, pelos excrementos e pela saliva. O fígado lança, na bílis, uma grande quantidade da vitamina, da qual cerca de 70% volta a ser assimilada no intestino. Esta reposição em circulação da vitamina permite recuperá-la, evitando assim a necessidade de mais quantidade nos alimentos.

A vitamina B12 intervém em importantes reações de transferência de elementos de uma molécula para outra. Estas reações são fundamentais para o bom funcionamento celular pois permitem utilizar certos tipos de ácidos aminados e de ácidos gordos. Estes últimos entram na composição de bainhas que protegem as fibras nervosas. É por isso que o metabolismo incorreto provocaria danos no sistema nervoso. A vitamina B12 participa, com o ácido fólico, na síntese dos ácidos nucleicos. Estas moléculas constituem os componentes base do DNA que tem, na célula, a função importante de armazenar e de reproduzir o patrimônio genético.

No caso de uma carência em vitamina B12 ou em ácido fólico, as alterações afetam primeiro as células que se reproduzem mais depressa tais como as células da mucosa intestinal e as dos glóbulos vermelhos. Sendo numerosas as relações entre os dois fatores vitamínicos (vitamina B12 e ácido fólico) os efeitos da sua carência aumentam.

Sinais de carência de vitamina B12

As carências em vitamina B12 raramente são devidas a uma insuficiente alimentação, pois as nossas necessidades são muito modestas. Verificam-se geralmente após situações patológicas, nomeadamente no caso em que o fator intrínseco é incapaz de sintetizar a vitamina B12, seja após uma gastrectomia total seja por uma insuficiência congênita. Esta causa é a mais corrente e conduz ao aparecimento de anemia perniciosa. É então impossível ao organismo absorver a vitamina B12 fornecida pelos alimentos. As reservas do organismo permitem fazer face a esta carência durante muito tempo, por vezes até durante anos, ao fim dos quais os primeiros sintomas de carência se manifestam por:

  • Fraqueza, palidez, perda de apetite e de peso, uma aceleração do ritmo cardíaco e respiratório;
  • Uma alteração das mucosas gastrintestinais, acompanhada de glossites, gastrites, etc.
  • Uma forma grave de anemia: a anemia megaloblástica;
  • Perturbações nervosas: formigueiro nas mãos e nos pés, falta de coordenação, ausência de sensibilidade.

Os doentes que sofrem de anemia perniciosa são tratados pela vitamina B12 que lhes é prescrita via parenteral ou outra, ao mesmo tempo que lhes é administrado o fator intrínseco.

Outras causas de carência

  • Problemas a nível intestinal que comprometem a assimilação da vitamina B12 mesmo em presença do fator intrínseco (formas de diarreias crônicas);
  • Insuficiências genéticas que comprometem a utilização normal da vitamina a nível celular.

Fontes alimentares

A vitamina B12 está presente nos produtos de origem animal e praticamente ausente nos vegetais. Encontramos sobretudo no fígado e nos rins, mas também na carne, nos peixes e nos ovos. É produzida em grandes quantidades por certos microorganismos presentes na pança (rúmen) dos ruminantes (bovinos, ovinos, etc) ou que se desenvolvem em contato com certos vegetais como as leguminosas ou as batatas.

A vitamina B12 é estavel ao oxigênio e ao calor, mas sensível a luz, que a decompõe lentamente e a torna inativa. As formas vulgares de cozedura são responsáveis por ligeiras perdas.

Quantidades recomendadas

As necessidades em vitamina B12 são cerca de 0,002 mg por dia. As quantidades armazenadas em nosso organismo são muito elevadas, ultrapassam essas necessidades em cerca de mil vezes. No entanto, um regime exclusivamente vegetariano, seguido durante vários anos, pode ser a causa de uma carência. Desenvolve-se lentamente graças à presença das reservas orgânicas ou também graças à ingestão de microorganismos que se encontram em certos legumes, capazes de produzir a vitamina. Observa-se uma certa forma de carência em recém-nascidos alimentados a peito por mães vegetarianas.

Indicações terapêuticas

A ação farmacológica da vitamina B12 exerce-se antes de mais nada nos tratamentos da anemia perniciosa. Esta vitamina é igualmente prescrita em caso de atraso do crescimento, de convalescença após uma intervenção cirúrgica ou de doeças infecciosas, assim como aos alcoólicos e aos idosos.

A administração de doses elevadas de vitamina B12 não comporta efeitos tóxicos.

Fonte: Livro Vitaminas e Sais Minerais

Vitamina B12 – Cianocobalamina
Classificado como:                            

2 ideias sobre “Vitamina B12 – Cianocobalamina

  • Janeiro 26, 2016 em 1:08 am
    Permalink

    Preciso saber ingredientes naturais parA ARTROSE E OSTEOPOROSE
    SEI O SULFATO DE GLUCOSAMINA REPOE A CARTILAGEM
    POIS ESTOU COM U. PROBLEMA SERIO E TENHO 42 ANOS
    É SINTO DORES

  • agosto 27, 2016 em 12:15 am
    Permalink

    Esse remédio ???? emgorda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *